guardam-se em memorandos os quês, os quens, os quandos. entre flashes perdidos no tempo,desenha-se incerto esboço: sonhos, sombras, rostos, nomes, toques, gostos. recriam-se as cenas, os planos-seqüência.carrega-se nas tintas, apagam-se alguns traços, ganham vida personagens. vestem-se as imagens, engendrando gestos possíveis da engrenagem.congelam-se momentos e se auscultam cérebro, coração e células.abre-se o foco ao máximo e se deixa ir o pensamento em liberdade pela página, pela mão, por improváveis cenários,até alçar vôo nas asas do imaginário. consultam-se agendas antigas, velhos álbuns de retratos,cartas extraviadas, vídeos, vestígios velados nos desvãos do esquecimento.revela-se, quadro a quadro, o abismo entre memória e passado.

cairo trindade

Trend Topics(tags)

adorno agua alien alma amigo amizade amor ano anonimo aristoteles bom buda cabo casamento cerveja cinema clarice lispector cola democracia deus dinheiro dor dormir drama drogas educacao energia esp espirito esporte felicidade filhos friedrich nietzsche gandhi guerra hebbel homem humanidade ir isabel allende jornalista liberdade lula mae marques marques de marica melhorar mentira mesa morte mulher mulheres mundo nada nunca padre antonio vieira palavras papel pensamento pizza politica politicos professor prov proverbio proverbio alemao proverbio portugues relogio saco seguranca semana shaw sociedade sol teatro trabalhar trabalho verdade vida xuxa